ZonaReGGae Reviews “Suns of Atom”


Midnite & Lion TribeSuns of Atom 2007 Fifth Son Records

A qualidade, imaginação e diversidade musical que envolve a já extensa discografia dos “Cruzians” Midnite, faz deste inovador colectivo um dos que se afirmam na vanguarda do roots revival…A sua revigorante e verdadeira abordagem à música roots faz-nos mesmo pensar o que mais precisam os Midnite de (re)criar, para verem o seu talento reconhecido no vasto universo da música reggae.
Vaughn Benjamin e os seus companheiros, por certo alheios e desinteressados desse pormenor, continuam a sua jornada, explorando e reinventando com o propósito de espalhar a mensagem, tal como o fazem já há mais de 15 anos, quer seja através do original Midnite; por via das colaborações com a I Grade crew, ou pelos caminhos psicadélicos do “ramo” Midnite Branch I.
Com um entendimento superior dos caminhos a seguir, nos últimos anos, as colaborações tem-se expandido a uma série de projectos desconhecidos do público maior, mas que parecem ter uma linha criativa que mostra que o movimento do roots revivalista/experimentalista não se limita aos Midnite ou às Ilhas Virgens….e expande-se até os “vizinhos” Estados Unidos
A última dessas colaborações, onde o roots se perde para se encontrar na fusão de estilos, aconteceu em Taos, no estado do New México, “base” dos Lion Tribe e da Fifth Son Records.

          FifthSonRecords.com            LionTribe@myspace.com

Imersos em montanhas, rios, deserto e uma vibração mística a Fifth Son crew absorve o envolvente triunvirato de culturas e ponto de encontro de espíritos onde habitam, com uma simples “equação”: Roots people = Roots music…Aproveitam tal, para um transe criativo onde a missão é florescer e fundar música de espírito e cultura, abraçando uma série de campos sonoros bem representativos dessa união espiritual, como o Pueblo Hip Hop, Desert roots, Roots Reggae, Bhajan indiano ou as fusões Afro-Cubanos!
Praticamente sinónimos com a Fifth Sun Records, os Lion Tribe abordam o Roots Reggae com uma fluidez tão livre como o ar das montanhas Sangre de Cristo que os inspira….Formados em 2006, e com dois registos lançados no mesmo ano, “Live at the Golden West” e “Botanical Consciousness”, os palcos partilhados com Burning Spear, Dezarie ou Anthony B, foram o ponto de partida para o mais recente projecto, a colaboração com os Midnite “Suns of Atom”.

Suns of Atom

O facto de esta não ser a primeira “viagem” dos Midnite pelo New México (em 2006, o hip-hop, jazz e dub dos Mystic Vision, de Albuquerque, juntou-se também a Vaughn Benjamin para o lançamento da Natural Vibes “Current”), faz-nos perceber que também este spot, imana energias criativas, que no mínimo se adaptam e criam a acústica ambiental, ideal para o génio lírico de Vaughn Benjamin…Em “Suns of Atom”, mais uma vez e primeiro que tudo, é impressionante a capacidade e entrega vocal de Benjamin, com o seu flow único, e invejável recusa à repetição, que encontrou nos Lion Tribe mais um veículo de fazer passar a sua construtiva e contínua mensagem.Para tal Juaquin Wilson, fundador da Fifht Son, providência os seus beats digitais e as suas potentes linhas de baixo, acompanhado pela guitarra de Lonn Calanca, as teclas de Daniel Garcia e pela bateria e percussões da voz principal dos Lion Tribe, Jeremiah Glauser (audível ainda que discreta, mas complementar à voz de Benjamin ao longo do set). Como é habitual nestes lançamentos de colaboração dos Midnite, os arranjos de sopros são explorados em algumas das malhas, aqui a cargo da El Rito Marching band.
Do início ao fim, Suns of Atom é como que um resplandecer das raízes da música ao longo dos tempos, através dos temas de roots reggae, inteligentemente alinhados ao longo do set, a espaços com os outros estilos explorados.

SunsofAtom tracklistAssim ao hardcore roots “à Midnite” de temas como Meltout, Atom Trees, InIrie ou a “clássica” Moonlite, junta-se a mestria digital de Juaquin Wilson em End of Doubt e Avionics, dois exemplos da versatilidade de Vaughn Benjamin a explorar o flow do hip-hop…como também só ele o entende…ou em Sanctify, onde à harmonia de Benjamin com a paz interior proporcionada pela erva sagrada, juntam-se cânticos de santificação numa autêntica expressão de transe espiritual.
Um dos mais fascinantes aspectos de Suns of Atom (e da composição dos Lion Tribe) é sem dúvida a dispersão e entrega do roots ao mundo, através da tradição indiana e oriental, com as tablas e os mrdungums a marcaram as vocalizações de Benjamin na rocksteady jazzy! Temple e na chanting/drumming combination WeesideRoshan Bartya é outro dos nomes convidados em “Suns of Atom” com as notas místicas da sua cítara, presentes um pouco ao longo de todo o set, e em destaque na oriental style These and Those…De destacar também a presença do chanter Jah Rubal das Ilhas Virgens, voz da malha Ganjahman, no seu incisivo riddim rider singjay style, no que parece ser uma crítica á hipocrisia e dualidade que acompanham o consumo de ganjah nos nossos tempos…

Global Roots, é a expressão que melhor define este Suns of Atom…com Vaughn Benjamin e os Lion Tribe a darem uma verdadeira lição de fusão musical e distinta instrumentação, com todos os temas, sem excepção, a transmitirem algo de único e novo (quanto mais não seja para o ouvido comum…), e com um nível de qualidade aconselhado a todos os que apreciam música do futuro, reflectida pelo passado…Um transe, claramente consonante com o voz dos Midnite e sinónimo (depois de experimentado…) com estes novos ares proporcionados pela localidade de Taos, New Mexico…aqui transcritos por limitações vivenciais…

“-Roots people = roots music-
From here we come to you,
riding rivers of sound, analog building blocks and digital transference,
wearing colors of intentions and breathing deeply in the trance.
Botanical and Trichromed InSpIrations”

One Response to “ZonaReGGae Reviews “Suns of Atom””

  1. rasnunukah Says:

    greetins and love
    primeiramente keria feelicitar ao people pela essa boa report em portugues sobre os midnite e o trabalho k esta a ser feito em saint croix, porque antes tinha ke ir buscar td em ingles mas ta c bem!
    ja a algum tempo , ou melhor á uns anos que tenho seguido os trabalhos dessa mitica banda midnite, que trouxe algo de muito novo e muito mais claro para akeles que continuam a ver no escuro. trouxeram uma mensagem renovada para o nosso tempo, uma visão forte sobre o panafricanismo e sobre a cas de JACÓ holly father of israel. a força vocal do vaughn é incontestavél e mais incontestavél é a akilo k revela pela palavra, muito mas muito positiva e construtiva para o espirito. ja agora aconselho ao massive a leitura doseu livro KOOL PEKUDE ke é muito inspirador.
    o que mais ainda me tokou é a simplicidade da banda quer a nivel d som , quer a nivel social sem barreiras ou obstaculos. é uma nova visão meus manos sobre a PALAVRA SOM E PODER que por muitos que seguem o skankin’ eskecem dessas vertentes da vida.
    love raspekt
    JAHRASTAFARI. NOT ONLY TO SHOUT , I MUST FEEL HIS NAME AND HIS WORK,

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: